Skip to content

Nem ordem nem progresso… até começarmos a pôr algum

24/12/2015
DOT

Imagem tirada duma menção às “Directrizes de Ordenamento do Território” em 2010. Deveria ter colocado isto na bibliografia também.

Agradece-se e até dá certa vertigem apreciar o interesse sobre as cousas que um escreve desde o outro lado do Atlântico. Bom, eis a magia da Geografia, origem de todas as ciências, verdade? 🙂

Neste caso trata-se de um resumo feito com forma de ensaio sobre uma investigação anterior bastante mais extensa. Foi publicado na Revista Internacional Interdisciplinar INTERThesis (Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil), no último número do ano que remata agora (v. 12, n. 2, p. 95-115).

Contudo, indicar só que além de alguma gralha menor e a nota a pé número 5 que ficou meio descolocada, há duas cousas que eu não coloquei no texto enviado: Primeiro, a indicação de eu ser da “Galiza, Espanha”… Quem me conheça ou leia esse artigo sabe que nunca colocaria a ‘E-word‘ aí tão perto do meu nome. Segundo, indica-se que sou doutor pela University College Cork, quando o que completei lá foi o meu mestrado (grau de MPhil).

Deixo embaixo o resumo em versão bilingue e a ligação directa ao artigo em pdf (1,3Mb), ainda que este e outros trabalhos também se podem encontrar através da secção de “obra”.

 

Nem ordem nem progresso para o nosso território. O (des)ordenamento territorial na Galiza.

Resumo: A organização territorial galega é uma realidade complexa, herdeira de uma longa evolução e afectada por fortes mudanças sociais, políticas e económicas recentes que vieram a alterá-la, até o ponto de se fazer necessário um planeamento espacial reequilibrador. Este ensaio pretende apontar de forma breve, e com uma óptica de estudos post-coloniais, como isto não só não foi conseguido, senão como tentativas de ordenamento territorial contemporâneo tiveram em muitas ocasiões um efeito contrário.

Palavras chave: Galiza. Planeamento. Paróquia (freguesia). Comarca. Província.

Neither order nor progress for our territory. The (lack of)territorial management in Galicia.

Abstract: The Galician territorial structure is a complex reality, heir of a long evolution and influenced by intense social, political and economical forces that resulted in drastic alterations. Thus, spatial planning was required to readjust such situation. This essay attempts to briefly point out (from a perspective of post-colonial studies) how this has simply failed, but also how contemporary territorial management practice caused further negative effects in many occasions.

Keywords: Galicia. Planning. Parish. Shire (county/region). Province.

 

Anúncios
2 comentários leave one →
  1. Jurjo permalink
    24/12/2015 17:59

    Achei um ótimo trabalho.

    • 24/12/2015 18:34

      Obrigado 🙂 Não deixa de ser um resumo muito resumido… Enfim, talvez algum dia daremos feito e “ordenado” algo, se é que fica Galiza para então 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: